Domingo, 21 de Agosto de 2005

Para quando o acordo ortográfico?

Segundo notícia encontrada na Internet e tendo como origem o Ministério da Educação do Brasil, este país e Cabo Verde já ratificaram o 2º Protocolo Modificativo ao Acordo Ortográfico. Falta assim, a ratificação de mais um país para o acordo entrar em vigor. Do que é que Portugal estará à espera para fazer a ratificação?

Segue-se a notícia, encontrada em http://www.aomestre.com.br/noticias/arq2005/abril05.htm

Cabo Verde ratificou o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

28/04/2005 16h40

Falta apenas a adesão de mais um país da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) para que o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa entre em vigor nos oito países que têm o português como língua oficial. O Brasil ratificou o 2º Protocolo Modificativo ao Acordo Ortográfico, em outubro de 2004, e em abril de 2005 Cabo Verde também cumpriu essa exigência. O 2º Protocolo Modificativo, aprovado durante a 5ª Reunião de Ministros da CPLP, em Fortaleza (CE), em maio de 2004, e depois sancionado pelos chefes de estado e de governo da CPLP, em julho, permite que, com apenas a ratificação de três países da comunidade, o acordo passe a vigorar.

Facilidades - O acordo possibilita, entre outras facilidades, a criação de normas ortográficas comuns para as variantes da língua portuguesa, facilita a difusão bibliográfica e de novas tecnologias, reduz o custo econômico e financeiro da produção de livros e documentos. Outra decorrência é a possibilidade de aprofundar a cooperação entre as nações que falam o português – terceira língua ocidental mais falada no mundo, depois do inglês e do espanhol – aumentando o fluxo de livros e publicações em todas as áreas, além de favorecer a produção de materiais para a educação a distância. No caso do Brasil, a transição ortográfica será feita de forma gradual, substituindo-se, por exemplo, os materiais didáticos e dicionários à medida que for necessária sua reposição nas escolas da educação básica.

Histórico – O acordo ortográfico foi assinado por Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe em 1990 (o Timor Leste ingressou na comunidade após a independência da Indonésia), fruto de um trabalho desenvolvido pela Academia Brasileira de Letras e pela Academia de Ciências de Lisboa, Portugal, desde 1980. O objetivo era colocá-lo em vigor em 1994 e mediante a ratificação de todos os membros. Como apenas o Brasil, Cabo Verde e Portugal ratificaram o documento, sua entrada em vigor está pendente há quase 15 anos. Em julho de 2004, os chefes de estado e de governo da CPLP, reunidos em São Tomé e Príncipe, aprovaram o 2º Protocolo Modificativo que altera a cláusula de vigência do acordo ortográfico. Em lugar de ratificação de todos os países, basta a ratificação de três membros para que vigore, mesmo procedimento já aplicado nos demais acordos firmados no âmbito da CPLP.
publicado por João Manuel Maia Alves às 08:28
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 20 de Agosto de 2005

O que é o acordo ortográfico?

Do quando falamos quando nos referimos ao acordo ortográfico? Falamos dum acordo assinado em 1990 entre os sete países de língua oficial portuguesa de então estabelecendo normas ortográficas, ou seja regras de como escrever palavras.

O acordo ortográfico esteve em “banho-maria” durante vários anos, mas parece que se estão a criar condições para entrar em vigor.

Neste momento a língua portuguesa tem duas ortografias: a usada no Brasil e a dos restantes países de língua portuguesa. As reformas introduzidas no Brasil em 1973 reduziram bastante as diferenças entre as duas ortografias, mas persistem importantes divergências.

Vejamos quais as principais alterações que o acordo introduzirá.

----- Em Portugal, países africanos de língua oficial portuguesa e Timor -----

-- Eliminação de cês e pês não pronunciados em palavras como “director”, “acção”, “protecção”, “baptismo”, “adoptar” e “decepção”, as quais passam a escrever-se “diretor”, “ação”, “proteção”, “batismo”, “adotar” e “deceção”. Parece que Marcelo Caetano se preparava para eliminar estas consoantes mudas quando a revolução do 25 de Abril pôs termo à sua governação.

-- O acento de palavras como “falámos” deixa de ser obrigatório.

---- No Brasil -----

-- Desaparece o trema. Em Portugal escreve-se “aguentar”, “arguido”, “frequente” e “tranquilo”. No Brasil estas palavras escrevem-se “agüentar”, “argüido”, “freqüente” e “tranqüilo”. O trema é colocado sobre o “u” para indicar que esta letra é pronunciada. Em Portugal o trema não se usa desde 1945.

-- O ditongo “ei” em palavras graves nunca é acentuado graficamente. Por isso, deixa-se de usar acento em palavras como “assembléia” e “idéia”. Actualmente tais palavras não levam acento em Portugal.

----- Em todos os países -----

-- É simplificado e reduzido o emprego do hífen

-- O ditongo “oi” em palavras graves não leva acento. Por isso, desaparece o acento em palavras como “bóia”, “cóio” e “heróico”.

Em futuros artigos continuaremos a falar deste acordo.


Autor deste artigo: João Manuel Maia Alves
publicado por João Manuel Maia Alves às 18:02
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. Convite

. Acordos de 1990 e 1945

. Boas notícias

. Notícias do acordo ortogr...

. Ortografia – uma convençã...

. Reformas ortográficas

. São Tomé e Príncipe ratif...

. Contrações incorretas

. Guiné-Bissau e Acordo Ort...

. Cimeira e acordo ortográf...

.arquivos

. Maio 2010

. Março 2008

. Novembro 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds